Recuperação da senha
Insira o seu e-mail cadastrado para receber instruções para recuperar o seu acesso.
×




Cadastre-se já na newsletter. Fique por dentro das notícias, cadastre-se agora na newsletter!

Matérias da Revista Ferroviária

EF Central do Brasil em livro, documentário e exposição

  07/11/2019
person
person
EF Central do Brasil em livro, documentário e exposição

Autor de livros que resgatam a memória ferroviária brasileira, como Cem Anos Luz; Sorocabana, uma saga ferroviária; Leopoldina Railway Co. O inglês e a inglesa; e A preservação dos edifícios da São Paulo Railway em Santos e Jundiaí, Antonio Soukef Junior pretende agora imergir na história da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil. Para isso, cadastrou o projeto em uma plataforma de financiamento coletivo para a produção de um livro, um documentário, um e-book e exposições no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, estados de presença da ferrovia.

 

Contar sua história é se debruçar sobre fatos de grande interesse, que vão desde a sua criação ainda no Império com outro nome (Estrada de Ferro D.Pedro II), seu  desenvolvimento, apogeu, quando foi, por exemplo, um dos principais meios de deslocamento utilizado por autoridade como Getúlio Vargas em visitas ou solenidades comemorativas. Seu declínio como empresa independente, sua incorporação à RFFA e por fim a concessão privada, diz Soukef, que tem formação em arquitetura e urbanismo, trabalhou na Fepasa e hoje está dedicado à vida acadêmica.

 

A ideia, segundo ele, é que o livro e o documentário tragam imagens históricas pouco ou nunca divulgadas, além de um ensaio fotográfico que retrate os principais marcos arquitetônicos da ferrovia e seu legado sociocultural. São muitos fatos épicos e cotidianos que ocorreram ao longo de seus trilhos, alguns dignos de um romance de aventuras. A ferrovia também está diretamente ligada à vida cultural do país, foi representada na música, nas artes plásticas, na literatura, no cinema e até hoje seu nome permanece vivo na memória popular, explica Soukef. 

 

O financiamento coletivo está abrigado na plataforma de crowdfunding Catarse e se encerra no dia 31 de dezembro deste ano. O projeto está na categoria Tudo ou Nada, ou seja, só será levado à frente caso se atinjam os recursos necessários para a sua realização completa (livro físico, e-book, documentário e exposições), no valor máximo de R$ 473 mil.

 

Há uma opção que permite que a pessoa doe a quantidade que quiser. Para ganhar o livro, no entanto, a doação mínima é de R$ 180. Além do livro com agradecimentos, os doadores ganharão (caso o projeto se concretize em 2020) uma placa de metal comemorativa pelos 130 anos da denominação EF Central do Brasil, que aconteceu no ano da Proclamação da República, em 1889. Se o projeto não atingir o valor necessário, o dinheiro é devolvido aos doadores pela plataforma.