Login
Bem vindo,
WebMaster
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Goldman prega TAV só até São José

22/06/2010 - Correio Popular

O governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), defendeu ontem um novo projeto de ligação ferroviária entre Campinas, São Paulo e São José dos Campos, no Vale do Paraíba, e condenou o trecho do trem de alta velocidade (TAV) até o Rio de Janeiro. O projeto é do governo federal. “O trecho (da Capital até o Rio) é uma invenção, sonho de uma noite de Verão, de alguém que estava dormindo muito bem, acordou e teve essa ideia”, disse, em entrevista concedida ontem ao Grupo RAC.

Em referência ao custo de implantação do TAV, orçado em R$ 34,6 bilhões pelo governo federal, Goldman afirmou que, com o recurso, “de R$ 40 bilhões, R$ 50 bilhões”, poderia investir em transportes de massa entre Campinas e a Capital e na implantação de metrô nas regiões metropolitanas envolvendo as duas cidades, além de Santos. Segundo ele, é nestes trechos que está a maior demanda pelo tipo de transporte — 60% das pessoas. “Ponho alguns bilhões em São Paulo e em Campinas para o transporte de massa, no modal ferroviário, como trem e metrô, e também levo até Santos. Com R$ 15 bilhões, eu faço um arraso, com trens metropolitanos e metrô nessas cidades, e o restante em metrôs em Recife, Rio, Salvador, Fortaleza, tudo dentro do valor do trem-bala.”

A referência a novas linhas está ligada aos estudos em andamento na Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, para o prolongamento das linhas férreas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) até Campinas. Os trens poderiam desempenhar uma velocidade acima do praticado hoje em São Paulo e desafogar o trânsito nas duas principais vias de ligação entre Campinas e a Capital, as rodovias Anhanguera e Bandeirantes. “Mesmo que você fizesse um trem-bala, que ainda é uma fantasia, a maioria das pessoas usa as rodovias”, disse.

Na entrevista, ele também defendeu mudanças na segurança pública, comentou a realização da Copa de 2014 em São Paulo e revelou a possibilidade de um acordo com a Prefeitura de Campinas para um parque ambiental na área da Fazenda Serra d‘Água, antes colocada à venda pelo Estado. Leia abaixo:

Viracopos - O governador defendeu a ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, mas como o “quarto, quinto grande aeroporto no Estado”, e não como o terceiro grande aeroporto de São Paulo, que ainda deve ser construído. “O que precisa ser feito é a construção de mais um aeroporto em São Paulo (Capital), porque é lá que está a maior demanda (de passageiros). Campinas não resolve isso, afirmou Goldman, reforçando que Viracopos, em sua opinião, tem as características voltadas para o transporte de cargas e atendimento à demanda regional. O governador afirmou ainda que o processo de licenciamento ambiental das obras no aeroporto campineiro está em andamento e que a construção de um terceiro terminal em São Paulo pela iniciativa privada precisa de regras pelo governo federal. “O projeto em Caieiras (município da Grande São Paulo) ainda é longe. Temos outra alternativa”, informou, sem apontar a localização.

Hélio não comenta; União reafirma plano para o TAV - O prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT), não quis se manifestar sobre as declarações dadas ontem pelo governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB). O Correio apurou que Hélio não quer fomentar a polêmica, principalmente por causa do período eleitoral que se inicia em julho. O governo tucano tem como candidato à Presidência da República o ex-governador José Serra, defensor da privatização de Viracopos, enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai tentar reeleger a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), que comandava a implantação do trem de alta velocidade (TAV). Por outro lado, a Casa Civil, por meio de sua assessoria, reforçou a continuidade do projeto para implantação do TAV até o Rio. Segundo a assessoria, o governo só espera a conclusão da análise do edital de concessão pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para iniciar o processo licitatório. A previsão é para o segundo semestre de 2010. O projeto prevê a construção de um trem de alta velocidade ligando Campinas, São Paulo e Rio, com uma parada em São José dos Campos. A ministra Erenice Guerra também não quis comentar as declarações do governador paulista.

 

LEIA TAMBÉM:

Governador quer Trem-Bala só entre São José e Campinas

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans
It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans
Payday lenders so why payday loans online look at.
Bad lenders will be payday loans online credit bureau.


Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Estatal do trem-bala tem 17 funcionários que ganham mais de R$ 20 mil
Trem-bala de R$ 374 bi divide a Califórnia, que teme elefante branco
Trem-bala russo vira atração turística na Copa do Mundo


 Comentários
26/06/2010 -  Comentário de Sergio Luiz Conde -

Concordo em parte, TAV até São José esta certo, até o Rio o governo de lá que pague o restante. Privatização de aeroporto, metro, trem passageiro, quais amigos o governo de SP estão em divida? Para com isso de privatizar, vai para outro pais(EUA)ficarão satisfeitos.
25/06/2010 -  Comentário de Ricardo Catarino -

Esta é a velha disputa entre PT e PSDB em São Paulo. Houvesse um projeto de país, isto não ocorreria. Sabemos que o custo do TAV é carrissímo, quando temos temos prioridades de maior mobilidade. Mas não podemos deixar de planejar o futuro, isto é, deve existir um serviço de trens expressos entre São Paulo e Rio de Janeiro. Os (e)leitores não devem se esquecer dos interesses (principalmente empreiteiras) por trás das declarações. Exemplos: 1.Por que deixaram de cuidar do entorno de aeroporto de Guarulhos para sua ampliação? (Esta é fácil, foi desleixo político mesmo, porque retirar população mais desprovida perde votos). 2. Por que ainda não foi proporcionado transporte de trens expressos entre São Paulo e Campinas, o Trem Bandeirantes? 3. Por que o Expresso Aeroporto ainda não saiu? 4. Por que a disputa entre FerroAnel Norte e Sul? No Blog da Revista Ferroviária já comentávamos sobre a possibilidade de trens expressos até Santos. Finalizando: Saibamos planejar este Brasil.
24/06/2010 -  Comentário de Alberto Tihiro Suzuki -

O professor da USP, Alberto Goldman, consultor da ONU para diversos temas científicos, é um dos homens mais lúcidos do país.
Obviamente, ele exagerou (de propósito) em relação ao TAV, mas tocou no ponto nevrálgico: existem projetos ferroviários com relação custo/benefício muito melhores do que o TAV.
Ele levantou a polêmica, de forma propositada e calculada. E CONSEGUIU, pelo número de comentários aqui.
O fato é: tem obras ferroviárias que trarão muito mais efeitos para a economia nacional, e são muitissimo mais viáveis, embora menos vistosos.
E também concordo em relação aos aeroportos: São Paulo é o hub do continente, precisa de um aeroporto no nível de Dallas-Forthworth ou Frankfurt.
É a visão do racional, não do político.
24/06/2010 -  Comentário de Yuri Papov -

Como é que um sujeito que não teve um voto, assumiu pela renúncia do eleito, e que nem sabe se terá jogos da Copa em S. Paulo pode pensar, e dizer, uma asneiras dessas? O Rio é a capital cultural do Brasil, a cidade mais linda e referência do país no exterior. É irreversível que o TAV saia e chegue ao Rio, não importa pra onde, com quantas paradas e mais nada. TAV no Rio já e tchau para os oportunistas!
24/06/2010 -  Comentário de Wilson França -

Concordo plenamente com a opiniao do Sr. Ubirajara. Quando o setor ferroviario necessitava urgente de investimento, este foi praticamente sucateado no intuito de fazer a populacao acreditar que entregando ao setor privado seria o melhor a fazer ja que nao era necessario por parte dos governos federal e estatual da epoca em investir no transporte ferroviario. Com isso os empresarios de transporte rodoviario agradecem pelo loby.
Essa critica do sr. Goldman é totalmente politica.
24/06/2010 -  Comentário de ronaldo da costa pimenta -

Esse Goldman não sabe de nada, não enxerga um palmo a frente do nariz. O TAV significa desenvolvimento para o País, não desenvolvimento de São Paulo. Esses tucanos e suas estórias mirabolantes!
23/06/2010 -  Comentário de Paulo Roberto Filomeno -

Parabéns ao Governador Goldman pela lucidez. Temos que desafogar o transporte nas regiões metropolitanas. Está na hora de termos políticos que façam contas para o benefício da população e não para o interesse de uns poucos.
23/06/2010 -  Comentário de Ubirajara Tadeu Malaquias Baía -

Na certa o sr. Goldman NUNCA deva ter feito o percurso entre o Rio e SP pela Dutra, pela asneira que propalou... Está na cara que a opinião do atual governador de SP é puramente eleitoreira. Só porque a proposta de implantação do TAV é do partido adversário. Afinal, os tucanos ficaram 8 anos lá e a ÚNICA COISA QUE FIZERAM FOI DETONAR com os trens de passageiros que, bem ou mal, existiam no País. Entregaram a malha ferroviária, NA BANDEJA, para os amiguinhos de SEMPRE e deu no que deu: vastíssimo patrimônio NACIONAL abandonado e sucateado a machadadas!...

Agora vem falar de investimentos maciços em transporte METROFERROVIÁRIO na RMSP e em outras metrópoles? E porque ele não investiu em TRENS DE PASSAGEIROS na época em que foi ministro dos transportes? Se tivesse tido CONSCIÊNCIA e não fosse tão NEGLIGENTE, o País poderia estar em uma outra esfera de desenvolvimento e nossa gente não estaria tendo que passar pelo seu CALVÁRIO diário nas idas e vindas entre casa e local de trabalho.
23/06/2010 -  Comentário de Santiago Wessner -

Na verdade o governador defende Trens Regionais entre a Capital e o Vale do Paraiba, e dispensa o TAV SP-RJ, no quê eu concordo plenamente com ele.
Quanto aos aeroportos, discordo do governador, Viracopos deve ser Sim(aliás já é) o terceio aeroporto "paulistano". Com um eficiente serviço de Trens de Aeroporto, que poderíam utilizar as mesmas vias dos futuros Trens Regionais, Viracopos estaría plenamente integrado com a Capital (e também com o aeroporto de Cumbica, que até lá já deverá também contar com o serviço).
Quanto ao projeto do "terceiro" aeroporto (antes em Cotia, agora em Caieiras), supostamente bancado pela iniciativa privada, devemos esquecê-lo, pois Não é necessário frente às outras opções que já existem.
Se a iniciativa privada quer mesmo investir em aeroportos, e não apenas promover áreas de especulação imobiliária, então que proponha parcerías em Viracopos e em Cumbica (cujos retornos financeiros são mais do que garantidos).



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, segunda-feira, 24 de setembro de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária