Recuperação da senha
Insira o seu e-mail cadastrado para receber instruções para recuperar o seu acesso.
×




Cadastre-se já na newsletter. Fique por dentro das notícias, cadastre-se agora na newsletter!
Últimas Notícias

Governo de SP retoma obras da Linha 9 da CPTM e promete duas novas estações até 2021

  15/05/2019
person G1
person G1
Governo de SP retoma obras da Linha 9 da CPTM e promete duas novas estações até 2021

O governo de São Paulo disse que vai retomar as obras de expansão da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e promete inaugurar duas novas estações na Zona Sul da capital paulista até 2021: Mendes Vila-Natal e Varginha.

Os planos incluem também um terminal de ônibus, quatro viadutos, uma passarela e cinco passagens subterrâneas. As obras devem custar R$ 945 milhões.

Atualmente, a linha tem 18 estações, que liga Osasco, na região metropolitana, ao Grajaú, na Zona Sul. Juntas, as novas unidades devem transportar mais 110 mil pessoas. Essa expansão é aguardada pelos moradores da região há muito tempo. A educadora Yara Lúcia Mouro trabalha ao lado da futura estação Mendes Vila-Natal. Ela aguarda a conclusão das obras desde o primeiro semestre de 2015, que era a primeira previsão do governo estadual. Agora, a nova estimativa é para novembro de 2020. "Seria de uma utilidade muito grande. Nós temos em horário de pico ônibus articulados, biarticulados, que não conseguem dar conta da vazão".

No terreno que vai receber a estação Varginha, o cenário é de abandono. Só é possível encontrar o esqueleto de um prédio e o início da construção das plataformas dos trens. Fora isso, só existe grama e barro, tanto que os moradores só utilizam a área como atalho.

O professor de matemática Pedro Correia trabalha no bairro do Socorro, que já conta com uma estação da mesma linha da CPTM. Ele passa todos os dias em frente ao que já deveria ser a estação Varginha e conta que seu trajeto seria mais fácil caso a estação estivesse em funcionamento.

Na Avenida Paulo Guilguer Reimberg, próxima à futura estação, os motoristas enfrentam diariamente trânsito intenso no horário de pico, algo que poderia ter mudado com a entrega das obras, que agora está prevista pelo governo para novembro de 2021.

Sobre o atraso no cronograma, a CPTM diz que, em 2017, para se enquadrar às regras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC da Mobilidade), a companhia encerrou os contratos em andamento, que não tinham recursos da União, e iniciou nova licitação, seguindo as exigências do programa federal.

Ainda segundo a CPTM, devido à demora na aprovação dos projetos pela Caixa Econômica Federal, decorrentes das regras do PAC, houve atraso e a retomada das obras só ocorreu em abril de 2018. Com isso, afirma a companhia, cronograma para conclusão teve de ser reajustado.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/05/15/go...